Escuta ativa: saiba o que é e como aplicar em seu dia a dia

Blog Aut Curadoria (geraldo) - GR Contábil
Classifique nosso post [type]

Processo envolve escutar com interesse e levar o ponto de vista do outro em consideração na hora de tomar decisões

Nunca tivemos tantas formas de nos comunicar e marcar nosso posicionamento e opinião dentro das empresas – são pesquisas de satisfação, canais de ouvidoria, preenchimento de questionários, reuniões one-on-one. Apesar dessa variedade de canais, a maioria das pessoas não se sente ouvida no ambiente de trabalho. É importante entender, assim, o que é a escuta ativa e como ela pode ser aplicada no dia a dia da empresa.

No cotidiano das relações de trabalho, muitas vezes ouvimos as demandas dos colegas sem realmente entendê-las: seja pelo alto fluxo de informações transmitidas, pelo volume de trabalho à espera ou simplesmente pela dificuldade de interpretar as necessidades do outro,

A escuta ativa é uma habilidade essencial para qualquer profissional, mas é especialmente relevante para pessoas em cargos de liderança: na escuta ativa, o objetivo final é estabelecer um diálogo realmente linear e eficiente. Nesse processo, o ouvinte está de fato interessado no que o outro tem a dizer e se esforça para assimilar, interpretar e dar uma resposta concreta às demandas, questionamentos ou reflexões do interlocutor.

Dessa forma, os pilares que sustentam a escuta ativa são:

  • interesse genuíno no que o outro tem a dizer;
  • senso de investigação;
  • empatia, ou a capacidade de compreender o ponto de vista do interlocutor;
  • disponibilidade para fornecer feedbacks e reflexões.

Por isso a escuta ativa é tão valorizada em profissionais que ocupam cargos de liderança: saber ouvir as demandas e questionamentos da equipe é primordial para manter uma boa comunicação organizacional, elevar os índices de satisfação no trabalho e identificar problemas que, se não abordados, podem provocar prejuízos.

Os benefícios da escuta ativa incluem, ainda:

  • aumento da confiança entre líder e liderados;
  • diminuição de conflitos entre diferentes funcionários ou setores da organização;
  • desenvolvimento de empatia;
  • estímulo ao trabalho em equipe;
  • otimização de processos.

Apesar disso, a escuta ativa ainda é pouco aplicada nas empresas. De acordo com pesquisa realizada pela Psychological Associates com líderes de empresas de diversos setores, 75% dos gestores entrevistados não sabiam escutar seus funcionários – ou seja, não perguntavam, não investigavam as razões por detrás das questões relatadas e não procuravam entender o lado do outro.

Desenvolver estratégias que possibilitem uma escuta realmente empática, aberta e compreensiva deve ser, dessa maneira, uma prioridade para qualquer profissional que ocupe cargos de gestão ou liderança.

Como praticar a escuta ativa

Para um líder, aplicar técnicas de escuta ativa no dia a dia da organização auxilia a melhorar relacionamentos e processos, obtendo resultados mais satisfatórios e elevando o índice de satisfação dos liderados. Na escuta ativa, o principal objetivo é compreender o ponto de vista do outro e levá-lo em consideração no momento de tomar decisões.

Veja algumas estratégias para desenvolver a escuta ativa:

1. Prepare o ambiente para a conversa

Na escuta ativa, o ideal é que a conversa ocorra diretamente entre líder e liderados, sem a presença de mediadores que possam influenciar ou provocar ruídos no diálogo. Uma possibilidade é realizar sessões one-on-one, que são conversas rápidas, mas extremamente produtivas, em que líder e liderado trocam impressões, experiências e aprendizados sobre o trabalho.

Deixe o seu interlocutor à vontade, em um ambiente confortável e livre de pressões. A ideia é criar um ambiente de acolhimento em que as pessoas possam se expressar sem medo de represálias.

Além disso, evite a utilização de computadores ou celulares durante o processo – a não ser que seja para checar alguma informação relevante ou realizar anotações. Ninguém gosta de conversar com um interlocutor que está checando as notificações de redes sociais durante a reunião, não é mesmo?

2. Demonstre interesse e empatia pelo outro

É comum, tanto nas conversas corriqueiras quanto no ambiente de trabalho, que as pessoas não compreendem inteiramente o que o outro quer dizer. Por isso, se dedique a ouvir o outro com atenção e interesse sinceros.

Fazer sinais verbais ou corporais de estímulo e concordância demonstra atenção ao que está sendo dito e estimula o interlocutor a se expressar. Uma boa técnica é parafrasear as palavras do outro para desenvolver seus próprios argumentos, o que indica que o ponto de vista do interlocutor está sendo levado em consideração.

Desenvolver empatia e compreender o ponto de vista do outro não significa necessariamente concordar com tudo o que ele diz, mas considerar suas preocupações, questões e necessidades no momento de liderar e tomar decisões. Esse processo requer autocontrole e paciência, por isso tenha cuidado para não apressar ou julgar seu interlocutor.

3. Observe a linguagem não verbal

A comunicação oral pode ser a principal maneira de que dispomos para transmitir nossos pensamentos e sentimentos, mas não é a única. A linguagem corporal e as modulações do tom de voz podem fornecer informações preciosas durante o procedimento de escuta ativa.

Portanto, fique atento à postura, aos gestos e às expressões faciais e ao tom de voz do seu interlocutor. Além disso, se certifique de que a sua forma de se portar e seu tom de voz sugiram acolhimento e compreensão, evitando, por exemplo, tons de desdém ou expressões de julgamento.

4. Investigue

Na escuta ativa, como dissemos, a compreensão verdadeira dos problemas e pensamentos do outro é o principal objetivo. Ser curioso e fazer perguntas é, assim, uma postura necessária para deixar claro que todos os pontos da conversa foram compreendidos adequadamente e para explorar tópicos que podem ser importantes para o assunto em questão.

Procure fazer perguntas abertas e diretamente relacionadas ao assunto discutido, que possibilitem à pessoa explorar e se aprofundar no tópico.

5. Forneça feedbacks

Após a conversa, é importante fornecer ao seu interlocutor um feedback sobre tudo o que foi tratado e deixar claro que os pontos levantados por ele serão levados em consideração. Se não puder fornecer uma resposta imediatamente, deixe claro ao seu liderado que o feedback será dado em momento apropriado, assim que possível.

Tenha em mente que a escuta ativa é um processo de troca, então reagir devidamente a tudo o que foi posto durante a reunião é indispensável.

Fonte: Administradores.com

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Deixe um comentário

Recomendado só para você
Os gestores de consultórios médicos têm uma grande responsabilidade, incluindo…
Cresta Posts Box by CP
Envie uma mensagem para nós!